Total de visualizações de página

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

HOMEM PERFEITO

Estou cansada da futilidade masculina.
Sempre que penso em ter um homem ao meu lado para conversar, contar as coisas do dia, fazer um carinho, um amor, um sexo ardente, chego a conclusão que os homens estão evoluindo negativamente, cada vez mais eu percebo que grande maioria da ala masculina ou está virando gay ou são uns inúteis na vida, que querem uma mulher com uma profissão estável, para se encostarem. Literalmente.

Mas ainda assim, eu quero sim, um dia, num futuro distante, casar-me novamente. No entanto, é preciso avaliar muito bem todos os pontos positivos e negativos dessa futura relação, pois se me basear nos meus últimos relacionamentos e no meu casamento fracassado eu posso concluir que meu dedo é podre, aliás a mão inteira é podre para escolher homens. Por que se um homem que não presta, safado, mulherengo, sem-vergonha e pouco sucedido estiver num estádio de futebol cheio de homens bons e de futuro promissor, aposto o prêmio do BBB que eu escolho o que não presta e de olhos fechados. Estou pra conhecer outra pessoa com a facilidade que eu tenho para atrair homem que não vale nada!
Mais eu queria encontrar um homem com quem eu conseguisse manter um diálogo interessante. Que depois de um dia cansativo de trabalho me perguntasse como havia sido meu dia. Que me fizesse uma massagem nos pés, me abraçasse bem forte e firme por horas, sem falar nada, só sentisse o calor do meu corpo misturando com o dele. Que soubesse o que eu quero só me olhando, sem que fosse preciso pedir ou falar.
Um homem de braços fortes, barba rala, cheiro de creme de barbear, voz do cara que faz a dublagem do Rambo, olhos do Tom Cruise, boca do Cauã Reymond. Que gostasse de dormir de conchinha, não deixasse a tampa do vaso aberta e nem mijasse no meu banheiro todo. Que não deixasse toalha molhada na cama e nem dormisse logo depois de fazer amor. Queria que ele tomasse uma cervejinha comigo nas sextas à noite e não no bar com os amigos, ou então, aqueles que nem tomam uma cervejinha. Deus me livre desses!
Queria um macho viril que fizesse sexo ardente, e amor suave e delicado, as vezes, quando eu tivesse carente. E que me fizesse um carinho, me compreendesse nos dias da TPM. Que aturasse minhas rabugisses, não ligasse com os palavrões que saem dessa boquinha meiga e feminina. (ironia).
Que não implicasse com o quanto eu gasto com futilidades, nem criticasse alguns hábitos que tenho, afinal, vivemos em um país livre e todos têm direito de ser como querem...
E eu sigo na busca!!!

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. nossa arrasou ñ gostoo muitoo de textos longos mas deste gosteii muiitoo

    ResponderExcluir